quarta-feira, 1 de março de 2017

Bradicardia - Causas e tratamento de bradicardia

Bradicardia causas sintomas diagnóstico tratamento prevenção
A bradicardia é um ritmo do coração que ocorre a um ritmo mais lento do que a taxa normal. O coração bate normalmente entre 60 e 100 vezes por minuto num adulto em repouso. Se você tiver bradicardia, o coração bate menos do que 60 vezes por minuto.
A bradicardia pode ser um problema grave, se o coração não bombear quantidade suficiente de sangue rico em oxigênio para o corpo. No entanto, nalgumas pessoas, a bradicardia não causa sintomas ou complicações.
O implante de um pacemaker ou a utilização de outros tratamentos podem corrigir a condição e ajudar o coração a manter uma taxa de batimentos adequada.

Sintomas de bradicardia

Se você tiver bradicardia, o seu cérebro e outros órgãos não podem obter o fornecimento de oxigênio de que necessitam. Como resultado, você pode enfrentar alguns sintomas, nomeadamente:
A frequência cardíaca de repouso mais lenta do que 60 batimentos por minuto pode ser normal para algumas pessoas, especialmente para jovens adultos saudáveis e atletas devidamente treinados. Para estas pessoas, bradicardia não é considerada um problema de saúde.


Causas de bradicardia

A bradicardia é causada por algo que perturba os impulsos elétricos normais que controlam a taxa de ação de bombeamento do coração. Muitas situações podem causar ou contribuir para problemas com o sistema elétrico do seu coração, incluindo:
  • Danos nos tecidos do coração relacionados com o envelhecimento
  • Danos nos tecidos cardíacos devido a doença cardíaca ou ataque cardíaco
  • A pressão arterial elevada (hipertensão)
  • Doença cardíaca presente no nascimento (cardiopatia congênita)
  • Infecção do tecido cardíaco (miocardite)
  • Uma complicação de cirurgia cardíaca
  • Hipoatividade da tireoide (hipotireoidismo)
  • Desequilíbrio de substâncias relacionados com minerais necessários para a condução de impulsos elétricos (eletrólitos)
  • Repetida interrupção da respiração durante o sono (apnéia obstrutiva do sono)
  • Doenças inflamatórias, tais como a febre reumática ou lúpus
  • O acúmulo de ferro nos órgãos (hemocromatose)
  • Medicamentos, incluindo alguns medicamentos para outros distúrbios do ritmo cardíaco, pressão arterial elevada e psicose
  • Circuito elétrico do coração
O coração é composto por quatro câmaras, duas câmaras superiores (átrios) e duas câmaras inferiores (ventrículos). O ritmo do coração é normalmente controlado por um marcapasso natural (o nó sinusal), localizado no átrio direito. O nó sinusal produz impulsos elétricos que iniciam cada batimento cardíaco.

A partir do nó sinusal, os impulsos elétricos viajam através dos átrios, fazendo com que os átrios se contraiam e possam bombear sangue para os ventrículos.

Em seguida, os impulsos elétricos chegam a um conjunto de células.

Posteriormente, é transmitido um sinal para um conjunto especializado de células chamadas do feixe de His. Estas células transmitem o sinal para baixo.

Quando o impulso elétrico viaja para baixo, os ventrículos contraem-se e bombeiam sangue (o ventrículo direito envia sangue pobre em oxigênio para os pulmões e o ventrículo esquerdo envia sangue rico em oxigênio para o corpo).

Bradicardia ocorre quando os sinais elétricos retardam ou ficam bloqueados.


Problemas do nó sinusal associados a bradicardia

Muitas vezes, a bradicardia começa no nó sinusal. A frequência cardíaca lenta pode ocorrer porque o nó sinusal:
  • Descarrega impulsos elétricos a uma taxa normal mais lenta
  • Não promove uma pausa ou não existem impulsos a uma taxa normal
  • Descarrega um impulso elétrico que fica bloqueado antes da contração dos átrios
  • Em algumas pessoas, os problemas do nó sinusal podem resultar em alternância de batimentos cardíacos lentos e rápidos (síndrome de bradicardia-taquicardia)


Bloqueio cardíaco (bloqueio atrioventricular)

Bradicardia também pode ocorrer em virtude dos sinais elétricos transmitidos pelos átrios não serem transmitidos para os ventrículos (bloqueio cardíaco, ou bloqueio atrioventricular).

A interrupção do sinal elétrico pode ocorrer no nodo atrioventricular, feixe de His, ou em algum local ao longo dos ramos direito e esquerdo que transmitem sinais elétricos para os ventrículos. Bloqueios do coração são classificados com base no grau em que os sinais dos átrios alcançam as principais câmaras de bombeamento do coração (ventrículos).

Complicações de bradicardia


Complicações da bradicardia sem tratamento variam de acordo com o local onde ocorre a lentidão do ritmo cardíaco, onde ocorre o problema da condução elétrica e de que tipo de danos pode estar presente no tecido cardíaco.

Se a condição for suficientemente significativa para causar sintomas, possíveis complicações da frequência cardíaca lenta podem incluir:

  • Desmaios frequentes
  • Incapacidade do coração bombear sangue suficiente (insuficiência cardíaca)
  • Parada cardíaca súbita ou morte súbita



Fatores de risco para bradicardia


Idade


Um fator de risco chave para a bradicardia é a idade. Problemas cardíacos que são frequentemente associados com bradicardia são mais comuns em adultos mais velhos.



Fatores de risco relacionados à doença cardíaca


Bradicardia é frequentemente associada a danos no tecido do coração devido a algum tipo de doença cardíaca. Deste modo, os fatores que aumentam o risco de doença cardíaca também podem aumentar o risco de bradicardia. A mudança de estilo de vida ou o tratamento médico podem diminuir o risco de doença cardíaca associada com os seguintes fatores:

  • Pressão alta
  • Fumar
  • Ingestão excessiva de bebidas alcoólicas
  • O uso de drogas recreativas
  • O estresse psicológico ou ansiedade


Quando consultar um médico

Um grande número de condições podem causar sintomas e sinais de bradicardia. É importante obter um diagnóstico preciso e pronto para receber cuidados adequados. Consulte o seu médico se você ou se o seu filho tiverem quaisquer sintomas de bradicardia.
Se você sofrer um desmaio, tiver dificuldade para respirar ou dor no peito que dura mais do que alguns minutos, procure cuidados de emergência. Procure atendimento de emergência para qualquer sintoma associado a esta condição.

Diagnóstico para bradicardia

Para diagnosticar a sua condição, o médico irá rever os seus sintomas, o seu histórico médico e familiar, e realizar um exame físico.
O médico também irá pedir uma série de testes para medir o seu ritmo cardíaco, estabelecer uma ligação entre a frequência cardíaca lenta e os seus sintomas, e identificar as condições que possam estar a causar a bradicardia.

Eletrocardiograma (ECG)

Um eletrocardiograma, é a principal ferramenta para avaliar a bradicardia.
Um eletrocardiograma usa pequenos sensores (eletrodos) anexados ao seu peito e braços para gravar sinais elétricos que viajam através do seu coração. O médico pode procurar padrões entre estes sinais para determinar que tipo de bradicardia você tem.
O seu médico também pode utilizar um dispositivo ECG portátil para usar em casa, para que possa obter mais informações sobre a sua frequência cardíaca e ajudar a estabelecer uma correlação entre a diminuição da frequência cardíaca e o início dos sintomas. Estes dispositivos incluem:
  • Monitor de Holter. Este dispositivo ECG portátil é transportado no bolso ou usado num cinto ou no ombro. Este pode gravar a atividade do seu coração pelo período contínuo de 24 horas, o que proporciona ao seu médico um olhar prolongado sobre os seus ritmos cardíacos. Provavelmente, o médico vai pedir-lhe para manter um diário durante as mesmas 24 horas. Você vai descrever quaisquer sintomas que tenha experimentado e registrar o momento em que ocorreram.
  • Gravador de eventos. Este dispositivo ECG portátil destina-se a monitorizar a sua atividade cardíaca durante algumas semanas ou mesmo alguns meses. Você ativa-o somente quando tiver sintomas que possam estar relacionados com a diminuição da frequência cardíaca. Quando você sentir os sintomas, você aperta um botão, e os registos serão gravados, permitindo que o seu médico possa determinar o seu ritmo cardíaco no momento dos seus sintomas.
O seu médico também pode usar um monitor ECG durante a realização de outros testes, para compreender o impacto da bradicardia. Estes testes incluem:
  • Teste da mesa inclinada. Este teste auxilia o médico a entender melhor como é que a sua bradicardia contribui para os desmaios. Você ficará deitado sobre uma mesa especial, e, em seguida, a mesa será inclinada, mantendo-o como se você estivesse de pé. Mudanças na posição podem causar um desmaio e ajudar o médico a estabelecer uma ligação entre o seu ritmo cardíaco e os episódios de desmaio.
  • Teste de esforço. O seu médico pode monitorar a sua frequência cardíaca enquanto você anda numa esteira ou anda numa bicicleta estacionária para verificar se a sua frequência cardíaca aumenta de forma apropriada como resposta à atividade física.

Testes de laboratório e outros

O médico poderá solicitar exames de sangue para condições que possam estar a contribuir para a bradicardia, como uma infecção, hipotireoidismo ou um desequilíbrio eletrolítico subjacente.
Se houver suspeita de que a apnéia do sono pode contribuir para a bradicardia, você pode passar por testes que monitorizam o seu sono

Tratamento para bradicardia

O tratamento para a bradicardia depende do tipo de problema de condução elétrica, da gravidade dos sintomas e da causa da frequência cardíaca lenta.

Tratamento de distúrbios subjacentes

Se um distúrbio subjacente, como hipotireoidismo ou apneia obstrutiva do sono, estiverem a causar bradicardia, o tratamento do transtorno pode corrigir a bradicardia.

Mudança na medicação

Um grande número de medicamentos, incluindo alguns que são usados para tratar outras doenças cardíacas, podem causar bradicardia.
O seu médico irá verificar quais os medicamentos que você está a tomar, podendo recomendar tratamentos alternativos. Mudar o tipo de medicação ou diminuir as dosagens pode corrigir problemas de diminuição da frequência cardíaca.
Quando os tratamentos alternativos não forem possíveis e os sintomas requererem tratamento, um pacemaker (marcapasso) poderá ser necessário.

Pacemaker

Um pacemaker é um dispositivo operado por bateria com o tamanho de um telefone celular, que é implantado sob a sua clavícula. Fios do dispositivo são enfiados através de veias no seu coração. Os elétrodos na extremidade dos fios ficam associados a tecidos cardíacos. O pacemaker monitoriza a frequência cardíaca e gera impulsos elétricos quando se torna necessário, para manter uma taxa adequada.
A maioria dos pacemakers também capturam e registam informações que o seu cardiologista pode usar para monitorar o seu coração. Você terá consultas de acompanhamento regulares para verificar o seu coração, e para assegurar o bom funcionamento do seu pacemaker.


Prevenção de bradicardia

A forma mais eficaz de prevenir a bradicardia é através da redução dos riscos de desenvolvimento de doenças cardíacas. Se você já tiver uma doença cardíaca, monitorá-la e seguir o seu plano de tratamento podem reduzir o risco de bradicardia.
Trate ou elimine os fatores de risco que podem levar a doenças cardíacas. Siga os seguintes passos:
  • Promova exercício e mantenha uma dieta saudável. Mantenha um estilo de vida saudável para o coração através de exercício regular e da ingestão de uma dieta saudável, com baixo teor de gordura, e que seja rica em frutas, vegetais e grãos integrais.
  • Mantenha um peso saudável. Ter excesso de peso aumenta o risco de desenvolver doenças cardíacas.
  • Mantenha a pressão arterial e colesterol sob controle. Faça mudanças de estilo de vida e tome os medicamentos prescritos para corrigir a pressão arterial elevada (hipertensão) ou colesterol alto.
  • Não fume. Se você fuma e não consegue deixar de fumar, fale com o seu médico sobre estratégias ou programas para ajudá-lo a quebrar o hábito de fumar.
  • Se você beber, faça-o com moderação. Se beber álcool, beba com moderação. Para algumas condições é recomendável que você evite completamente o álcool. Pergunte ao seu médico para obter aconselhamento específico para a sua condição. Se você não conseguir controlar o uso de álcool, fale com o seu médico sobre um programa para parar de beber e para gerenciar outros comportamentos relacionados com o abuso de álcool.
  • Não use drogas recreativas. Converse com o seu médico sobre um programa adequado que possa promover ajuda para acabar com o uso de drogas.
  • Controle o estresse. Evite o estresse desnecessário e aprenda técnicas de enfrentamento para lidar com o estresse normal de uma forma saudável.
  • Promova exames regulares. Promova exames físicos regulares e relate quaisquer sinais ou sintomas ao seu médico.
  • Monitorize e trate alguma doença cardíaca existente
Se você já tem doença cardíaca, existem passos que você pode tomar para reduzir o seu risco de desenvolver bradicardia ou outro distúrbio do ritmo cardíaco:
  • Siga o plano prescrito pelo seu médico. Certifique-se de entender o seu plano de tratamento, e tome todos os medicamentos prescritos.
  • Se os seus sintomas se alterarem, piorarem ou se desenvolver novos sintomas, informe o seu médico imediatamente.

Nenhum comentário:
ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL