quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Abscesso - Causas e tratamento de abscesso

Abscesso causas sintomas diagnóstico tratamento
Um abscesso é uma massa macia, geralmente rodeada por uma área colorida de cor rosa ou vermelho escuro. Os abscessos são muitas vezes fáceis de sentir ao toque. O interior de um abscesso está normalmente cheio de pus e detritos.
Doloroso e quente ao toque, o abscesso pode aparecer em qualquer local do corpo. Os locais mais comuns são as axilas, áreas em torno do ânus e vagina, a base da espinha (abscesso pilonidal), em torno de um dente (abscesso dentário) e na virilha. A inflamação em torno de um folículo de cabelo também pode levar à formação de abscessos, que são chamados de furúnculos.
Ao contrário de outras infecções, antibióticos por si só, geralmente não curam um abscesso. Em geral, um abscesso deve abrir e drenar a fim de melhorar. Por vezes, a drenagem ocorre por conta própria, mas em geral ele deve ser aberto por um médico através de um procedimento chamado incisão e drenagem.

Causas de um abscesso

A maioria dos abscessos são causados por uma infecção bacteriana. No entanto, eles podem muito ocasionalmente desenvolver-se devido a uma infecção por vírus, fungos ou parasitas.
Quando organismos estranhos, tais como bactérias entram no corpo, o sistema imunológico envia células brancas do sangue para combater a infecção. Isto provoca o inchaço (inflamação) no local da infecção e a morte do tecido vizinho, criando um furo chamado cavidade, que se enche com pus, formando um abscesso.
O pus contém uma mistura de tecido morto, células brancas do sangue e bactérias. O abscesso pode ficar maior e mais doloroso se a infecção continuar e mais pus for produzido.
A maior parte dos abscessos ocorrem como resultado da bactérias estafilococas e bactérias estreptocócicas.
Alguns tipos de bactérias produzem uma toxina de estafilococos que mata as células brancas do sangue. Isto faz com que o organismo produza mais células para manter o combate à infecção, podendo levar a infecções cutâneas repetidas.


Abscesso na pele

Quando uma bactéria fica sob a superfície da pele, pode formar-se um abscesso. Isto pode ocorrer em qualquer parte do corpo, apesar dos abscessos na pele tenderem a ser mais comuns em:
  • Axilas
  • Mãos e pés
  • Órgãos genitais
  • Nádegas
As bactérias podem entrar na sua pele e causar um abscesso, se você tiver uma pequena ferida na pele, tais como um pequeno corte, ou se uma glândula sebácea (glândulas de óleo) ou glândulas sudoríparas da sua pele ficarem bloqueadas.

Sintomas de um abscesso

Os sintomas de um abscesso dependem de onde ele se desenvolve em seu corpo.

Sintomas de abscesso na pele

Sinais de um abscesso na pele podem incluir:
  • Um inchaço suave sob a pele, que pode sentir-se doloroso
  • Dor e sensibilidade na área afetada
  • Calor e vermelhidão na área afetada
  • Um visível acúmulo de pus branco ou amarelo sob a pele, na área afetada
  • Uma temperatura elevada (febre)
  • Calafrios


Sintomas de abscesso interno

Os abscessos que se desenvolvem no interior de um órgão, ou nos espaços entre os órgãos podem ser mais difíceis de identificar do que os abscessos cutâneos, porque os sintomas podem ser vagos e pode não existir sinais externos óbvios de um problema.
Os sintomas de um abscesso interno também podem variar em função do local onde ele se desenvolve. Por exemplo, um abscesso do fígado pode causar icterícia (amarelamento da pele e do branco dos olhos), ao passo que um abscesso dentro ou perto dos pulmões pode causar tosse ou falta de ar.
Os sintomas gerais de um abscesso interno podem incluir:

Diagnostico para um abscesso

Consulte o seu médico se você achar que pode ter um abscesso. Existem vários testes que podem ser usados para diagnosticar um abscesso, dependendo de onde ele se encontra localizado.

Diagnóstico para abscesso na pele

Se você tiver um abscesso na pele, o seu médico irá examinar a área afetada, perguntar há quanto tempo você tem o abscesso, se você foi ferido nessa área e se você tem quaisquer outros sintomas.
Uma amostra de pus pode ser tomada a partir do abscesso e enviada para testes. Isto permite que as bactérias específicas que causam o abscesso possam ser identificadas, o que pode ajudar a determinar a melhor forma de o tratar.
Se você já teve mais de um abscesso na pele, você pode ter de fornecer uma amostra de urina. Esta irá ser testada para a glucose, o que é um sinal de diabetes. Pessoas com diabetes têm um risco aumentado de desenvolver abscessos na pele.
Tratamentos adicionais podem então ser propostos, como uma lavagem do corpo ou um creme antibiótico, para impedir que estas bactérias vivam sobre o corpo.


Diagnóstico para abscesso interno

Abscessos que se desenvolvem dentro do seu corpo são mais difíceis de diagnosticar do que abscessos na pele, porque eles não podem ser vistos. O seu médico irá pedir-lhe informações sobre os seus sintomas e quaisquer outras condições de saúde que possa ter.
Se o seu médico suspeitar de um problema associado ao abscesso interno, ele pode encaminhá-lo para um exame de modo a identificar o problema. Por exemplo, você pode ser sujeito a:
  • Uma tomografia computadorizada (TC) - Uma série de raios-X são tomados para produzir uma imagem do interior do seu corpo
  • Uma ressonância magnética (RM) - Em que os campos e ondas magnéticas e de rádio são usados para produzir uma imagem do interior do corpo
  • Uma ultra-sonografia - Em que as ondas sonoras de alta frequência são usadas para produzir uma imagem do interior do corpo
  • Um raio-X - Em que radiação de alta energia é usada para produzir uma imagem do interior do corpo
Estes exames irão ajudar a determinar o tamanho do abscesso e a sua localização.

Tratamento de abscesso

Os abscessos podem ser tratados de uma série de forma diferentes, dependendo do tipo de abscesso e do seu tamanho.
As principais opções de tratamento incluem:
  • Antibióticos
  • Um procedimento de drenagem
  • Cirurgia

Tratamento de abscesso na pele

Alguns pequenos abscessos na pele podem drenar naturalmente e ficar melhor sem necessidade de tratamento. A aplicação de calor sob a forma de uma compressa quente, como uma flanela quente, pode ajudar a reduzir qualquer inchaço e a acelerar a cura.
No entanto, a flanela deve ser cuidadosamente lavada depois, e não deve ser usada por outras pessoas, para evitar a propagação da infecção.
Para abscessos de pele maiores ou persistentes, o médico pode prescrever um curso de antibióticos para ajudar a limpar a infecção e evitar a sua propagação.
Normalmente, um curso de antibióticos irá começar antes de um tipo específico de bactéria ter sido identificado, pelo que, inicialmente devem ser usados antibióticos "de largo espectro". Estes, destinam-se a funcionar para uma vasta gama de bactérias infecciosas conhecidas e normalmente irá curar infecções mais comuns. Uma vez que uma bactéria específica seja identificada a partir de uma amostra de pus, um antibiótico mais "concentrado" pode ser usado.
Por vezes, especialmente nos casos de infecções recorrentes, pode ser necessário remover todas as bactérias do seu corpo para evitar re-infecção (descolonização). Isto pode ser feito através do uso de um sabonete anti-séptico na maior parte do corpo e de um creme antibiótico para o interior do seu nariz.
No entanto, só os antibióticos, podem não ser suficientes para limpar um abscesso da pele, e o pus terá de ser drenado para limpar a infecção. Se um abscesso na pele não for drenado, pode continuar a crescer e a encher-se de pus até que estoure, o que pode ser muito doloroso, podendo causar a disseminação da infecção, o que motiva que ele volte a ocorrer.

Incisão e drenagem para abscesso

Se o abscesso da sua pele precisar de ser drenado, provavelmente, você terá de ser sujeito a uma pequena operação realizada sob anestesia (geralmente um anestésico local), em que você vai permanecer acordado e a área ao redor do abscesso será anestesiada.
Durante o procedimento, o cirurgião irá fazer um corte (incisão) no abscesso, para permitir que o pus escorra para fora. Ele também pode recolher uma amostra de pus para teste.
Depois de todo o pus ser removido, o cirurgião irá limpar o furo que é deixado pelo abscesso, usando soro fisiológico estéril (solução salina).
O abscesso será deixado em aberto, mas coberto com um curativo, para que, se mais pus for produzido, este possa escorrer facilmente. Se o abscesso for profundo, um curativo anti-séptico pode ser colocado dentro da ferida para mantê-la aberta.
O procedimento pode deixar uma pequena cicatriz.

Tratamento para abscesso interno

Geralmente, o pus terá de ser drenado a partir de um abscesso interno, quer através da utilização de uma agulha introduzida através da pele (drenagem percutânea) ou com cirurgia.
O método utilizado vai depender do tamanho do abscesso e da sua localização. Geralmente, os antibióticos serão administrados ao mesmo tempo, para ajudar a acabar com a infecção e evitar a sua propagação. Estes podem ser administrados na forma de comprimidos ou diretamente numa veia (por via intravenosa).
Tal como acontece com abscessos na pele, antibióticos de largo espectro serão a escolha inicial, até que a bactéria específica seja identificada a partir de uma amostra de pus.


Drenagem percutânea

Se o abscesso interno for pequeno, o cirurgião pode ser capaz de drená-lo usando uma agulha fina. Dependendo da localização do abscesso, este procedimento pode ser efetuado com recurso a uma anestesia local ou geral.
O cirurgião pode usar ecografias ou exames de tomografia computadorizada (TC) para ajudar a guiar a agulha até ao local certo.
Uma vez que o abscesso tenha sido localizado, o cirurgião irá drenar o pus com a agulha. Ele pode fazer uma pequena incisão na pele sobre o abscesso, e em seguida, inserir um tubo plástico fino chamado de cateter de drenagem.
O cateter irá permitir que a secreção possa drenar para fora do corpo, para dentro de um saco, que pode ser deixado no local durante até uma semana.
Este procedimento pode ser realizado de modo rápido e você será capaz de ir para casa no mesmo dia, embora algumas pessoas tenham de ficar no hospital por alguns dias.
Tal como acontece com a incisão e procedimento de drenagem de abscessos na pele, drenagem percutânea pode deixar uma pequena cicatriz.


Prevenção de abscesso

É difícil evitar abscessos internos, já que muitas vezes eles surgem como complicações de outras condições, mas você pode ser capaz de reduzir o risco de abscessos na pele através de cuidados da pele e de um estilo de vida saudável.

Também poderá gostar de ler:

Nenhum comentário:
ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL