quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Sangramento retal - Causas e tratamento de sangramento no reto

Sangramento retal causas e tratamento
No trato digestivo inferior, o intestino grosso e o reto são locais frequentes de sangramento. A inflamação pode ter várias causas que podem contribuir para a produção de extensa hemorragia do cólon. Diferentes Infecções intestinais também podem causar inflamação e diarreia com sangue. A colite ulcerativa pode produzir inflamação e sangramento de extensa superfície ou apenas de pequenas ulcerações. Doença do intestino grosso de Crohn também pode produzir sangramento. Doença diverticular pode resultar em sangramento maciço. Finalmente, com a idade, anormalidades podem desenvolver-se nos vasos sanguíneos do intestino grosso, que podem resultar em sangramento retal recorrente.

Causas de sangramento retal

Causas desta condição incluem hemorroidas, fissura anal, infecção, inflamação (colite ulcerativa), pólipos colorretais, câncer de cólon e doença diverticular.
Hemorroidas são a causa mais comum de sangue visível, especialmente sangue que aparece em tom vermelho brilhante. Hemorroidas são veias dilatadas na região anal que se podem romper e produzir sangue vermelho brilhante, podendo mostrar-se no vaso sanitário ou no papel higiênico. No entanto, se o sangue vermelho for visualizado, é essencial excluir outras causas de coagulação, uma vez que esta zona também pode ser o local de cortes (fissuras), inflamação ou câncer.
Tumores benignos ou pólipos do cólon são muito comuns e pensa-se que possam ser precursores do câncer. Estes crescimentos podem causar sangue vermelho brilhante ou hemorragia oculta. O câncer do cólon é o câncer mais frequentemente diagnosticado em alguns países e muitas vezes provoca sangramento oculto em algum momento, mas não necessariamente sangramento visível. Os sinais de hemorragia do trato digestivo dependem do local e severidade da hemorragia. Se o sangue for proveniente do reto ou cólon, surge o vermelho brilhante do sangue misturado com as fezes. As fezes podem aparecer misturadas com o sangue mais escuro, se o sangramento for mais abundante no cólon ou na extremidade mais distante do intestino delgado. Se ocorrer sangramento maciço súbito, uma pessoa pode experimentar sensações de fraqueza, tonturas, desmaios, falta de ar e dor abdominal ou diarreia. Choque pode ocorrer, com um pulso rápido, queda da pressão arterial e dificuldade em urinar. O paciente pode tornar-se muito pálido. Se o sangramento for lento e ocorrer ao longo de um período de tempo, irá ocorrer um início gradual de fadiga, letargia, falta de ar e palidez devido a anemia. A anemia é uma condição na qual existe diminuição de substâncias ricas em ferro. Outros sintomas incluem mudanças no hábito intestinal, cor das fezes (preto ou vermelho), consistência das fezes, e a presença de dor ou sensibilidade no intestino.

Diagnóstico

Quando se promove o diagnóstico desta condição, o local do sangramento deve ser localizado, se possível. Uma história clínica completa e exame físico são essenciais. Os sintomas tais como alterações nos hábitos intestinais, cor das fezes (preto ou vermelho), consistência, e a presença de dor ou sensibilidade, podem dar ao médico indicações de qual a área do trato gastrointestinal afetada. Uma vez que a ingestão de ferro, bismuto ou alimentos, tais como beterraba, podem dar às fezes a mesma aparência que o sangramento do trato digestivo, existem vantagens em testar as fezes com sangue antes de oferecer um diagnóstico definitivo. Um hemograma vai indicar se o paciente está anêmico e também dará uma ideia da extensão da hemorragia.
Gastroenterologistas também podem executar procedimentos de colonoscopia, que permitem detetar com precisão, e examinar a área do intestino grosso onde ocorre a hemorragia. Uma vez que o endoscópio pode detetar lesões e confirmar a presença ou ausência de hemorragia, os gastroenterologistas escolhem muitas vezes este método para diagnosticar pacientes com sangramento agudo. Em muitos casos, o médico também pode usar o endoscópio para tratar a causa de hemorragia.
A colonoscopia é um procedimento que permite que o gastroenterologista possa visualizar o cólon e reto, coletar pequenas amostras de tecido (biopsias), e tirar imagens para referência futura.

Tratamento de sangramento retal

A colonoscopia é um procedimento de diagnóstico e terapêutico primário para a maioria das causas de sangramento gastrointestinal. A remoção dos pólipos com um endoscópio pode controlar o sangramento de pólipos do cólon. A remoção de hemorroidas é eficaz em pacientes que sofrem hemorragia hemorroidal numa base recorrente. Injecção ou cauterização endoscópica podem ser utilizadas para tratar locais de hemorragia ao longo do trato intestinal inferior. Apesar das técnicas de endoscopia tratarem eficazmente a maioria dos casos de hemorragia retal, existem casos raros em que este tratamento não é suficiente. Nestes casos, a angiografia pode ser aplicada, e, possivelmente, a cirurgia poderá ser necessária para controlar o sangramento ativo, grave ou recorrente, quando as colonoscopias são mal sucedidas.
Nenhum comentário:
ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL