sábado, 24 de dezembro de 2016

Indigestão - Causas, sintomas e tratamento

Indigestão causas sintomas tratamento
Indigestão, também conhecida como dor de estômago ou dispepsia, é uma sensação dolorosa ou de ardor na parte superior do abdômen, não sendo uma condição por si só, mas pode ser um sinal de uma doença intestinal subjacente tais como úlcera péptica ou doença da vesícula biliar.

Sintomas de indigestão

Alguns sintomas característicos da dispepsia são uma sensação de queimação no estômago ou no abdômen superior, azia, dor abdominal, distensão abdominal (sensação de plenitude), arrotos e gás, náuseas, vômitos, gosto ácido, "rosnar" do estômago, e por vezes diarreia. Geralmente, os sintomas aumentam em tempos de estresse, e diminuem em momentos de relaxamento.


Fatores de risco para indigestão

Pessoas de todas as idades e de ambos os sexos são afetadas por dispepsia. O risco de um indivíduo é aumentado com o excesso de consumo de álcool, uso de medicamentos que podem irritar o estômago, ou outros distúrbios funcionais, tais como a doença do refluxo gastroesofágico (DRGE) e problemas emocionais, como ansiedade ou depressão


Causas da indigestão

Uma doença ou uma úlcera no trato digestivo podem causar indigestão. No entanto, para a maioria das pessoas, esta é o resultado de comer demais, comer rápido demais, comer alimentos ricos em gordura, ou comer durante situações estressantes. Dispepsia não é causada por excesso de ácido no estômago. Deglutição excessiva de ar quando se come, pode aumentar os sintomas de arrotos e flatulência, que são frequentemente associados com dispepsia. Alguns medicamentos também podem irritar o estômago e causar o problema.
Estar cansado ou estressado, fumar ou beber muito álcool ou bebidas com cafeína podem causar dispepsia ou torná-la pior. Estes fatores também podem piorar as condições que causam o problema, como hérnias de hiato e doença de refluxo gastroesofágico (DRGE) subjacente. O estresse emocional ou outras condições psicológicas podem resultar em dor abdominal.
Por vezes, as pessoas têm dispepsia persistente que não está relacionada com qualquer um destes fatores. Este tipo de indigestão é chamada funcional, ou ulcerosa, sendo causada por um problema associado com a forma como o alimento se move através do trato digestivo.

Diagnóstico

Porque indigestão é um termo muito amplo, torna-se útil fornecer ao seu médico uma descrição precisa do desconforto que você esteja a enfrentar. Ao descrever os sintomas, tente definir onde (no abdômen) é que o desconforto geralmente ocorre. Relatar simplesmente dispepsia como dor no estômago não é detalhe suficiente para ajudar o seu médico a identificar e tratar o seu problema.
Para diagnosticar a condição, o seu médico deverá primeiramente excluir quaisquer condições subjacentes tais como úlceras. Poderá ainda recorrer a raios-X do estômago ou intestino delgado. O médico também pode usar um instrumento para olhar de perto para o interior do estômago, referido como um endoscópio. Um endoscópio é um tubo flexível que contém uma luz e uma câmara para produzir imagens do estômago e do intestino. Este é um procedimento designado de endoscopia. A gastroscopia é um procedimento semelhante ao utilizado para avaliar apenas o interior do estômago.

Tratamento da indigestão

Porque indigestão é um sintoma e não uma doença, geralmente, o tratamento depende da condição subjacente que a causa. Tenha em mente que o excesso de ácido no estômago não causa o problema, pelo que, o uso de antiácidos não vai ajudar a resolver o problema.
Muitas vezes, os episódios de indigestão desaparecem dentro de horas sem cuidados médicos. No entanto, se os seus sintomas se tornam piores, você deve consultar um médico. Evitar alimentos e situações que causam dispepsia são as melhores formas de a tratar. Altere alguns hábitos alimentares que motivem engolir muito ar, já que, podem ajudar a aliviar o problema. Evite:
  • Mastigar com a boca aberta
  • Falar durante a mastigação
  • Comer alimentos muito rápido
Beba líquidos após a refeição, em vez de durante as refeições, e evite comer muito tarde durante a noite. Tente relaxar após as refeições. Evite alimentos picantes, fumo e bebidas alcoólicas. Por vezes, a aspirina pode irritar a mucosa do estômago. Se isso ocorrer, mude para paracetamol. Se a dispepsia for uma condição funcional ou ulcerosa, o seu médico pode prescrever medicamentos que afetam a função do estômago.


Prevenção da indigestão

A melhor forma de tratar a indigestão é impedi-la, evitando os alimentos e situações que parecem causar o problema. Mantenha um diário alimentar que se possa tornar útil na identificação de alimentos que causam dispepsia. Aqui estão algumas outras sugestões:
  • Coma pequenas refeições de modo a que o estômago não tenha tanta dificuldade ou demore tanto tempo a trabalhar
  • Coma devagar
  • Evite alimentos que contêm grandes quantidades de ácidos, tais como frutos citrinos e tomates
  • A cafeína faz com que o estômago produza mais ácido, pelo que, deve reduzir ou evitar alimentos e bebidas que contenham cafeína
  • Se o estresse for um gatilho para o seu problema, reavalie o seu estilo de vida, reduzindo o estresse. Conheça novos métodos de gestão de estresse, tais como técnicas de relaxamento e biofeedback
  • Os fumantes devem considerar parar de fumar, ou pelo menos não fumar antes de comer, já que o tabagismo pode irritar a mucosa do estômago
  • Reduza o consumo de álcool, porque o álcool pode irritar a mucosa do estômago
  • Evite usar roupas apertadas porque elas tendem a comprimir o estômago
  • Não promova exercícios com o estômago cheio. Pelo contrário, faça exercício antes de uma refeição ou pelo menos uma hora depois da refeição
  • Não se deite logo após comer
  • Espere pelo menos 3 horas após a sua última refeição do dia, antes de ir para a cama
  • Durma com a cabeça elevada acima dos seus pés e use travesseiros para sustentar-se. Isso permitirá que os sucos digestivos fluam para o intestino, em vez de para o esófago

Nenhum comentário:
ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL