segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Espermatocele - Causas e tratamento de espermatocele

Espermatocele causas sintomas tratamento
Espermatocele é um termo médico que pretende caracterizar um cisto no epidídimo, que é um pequeno tubo que se localiza na parte superior do testículo e que recolhe e transporta o esperma, ou um cisto na própria cabeça do epidídimo. O cisto é distendido com um líquido leitoso que contém espermatozoides.
Localizado na parte superior do testículo, o espermatocele é suave e flutuante (com uma luz pode ser visto a brilhar através da massa escrotal).
Espermatocele é assim denominado por causa do achado frequente de espermatozoides no líquido do cisto sendo a condição cística mais comum encontrada dentro do escroto.
O cisto é normalmente encontrado na cabeça do epidídimo, ou nas partes adjacentes ou posteriores à parte superior do testículo, podendo variar em tamanho, desde vários milímetros a vários centímetros de diâmetro e pode ser simples ou múltiplo, unilateral ou bilateral.

Causas de espermatocele

A causa de permanece controversa. Acredita-se que possa ter como origem um divertículo dos túbulos encontrados na cabeça do epidídimo. Com a espermatogênese, ao longo do tempo, pode haver aumento no tamanho do divertículo, e em última análise, a produção de um espermatocele.
Também se pensa que esta condição possa formar-se como resultado de infecção (epididimite) ou traumatismo. Se qualquer parte do epidídimo ficar obstruída por formação de uma cicatriz, pode formar-se um espermatocele.

Sintomas de espermatocele

Normalmente, espermatocele apresenta-se como massas escrotais incidentais encontradas no exame físico de rotina e pode ser descoberto por um indivíduo durante a auto-inspeção de seu escroto ou testículos, ou quando fica grande, por palpação do seu parceiro. Esta condição é assintomática, excepto quando fica grande, podendo provocar desconforto testicular.


Complicações associadas a espermatocele

Torna-se improvável que esta condição possa causar complicações.
No entanto, se este se tornar doloroso ou crescer de modo exagerado e se causar desconforto, você pode precisar de uma cirurgia para removê-lo. A remoção cirúrgica pode danificar o epidídimo ou canal deferente, um tubo que transporta os espermatozoides do epidídimo para o pênis. Danos a qualquer um deles, pode reduzir a fertilidade. Outra complicação possível que pode ocorrer após a cirurgia é que o espermatocele pode voltar, mas isto é raro.


Fatores de risco de espermatocele

Não existe muitos fatores de risco conhecidos para o desenvolvimento deste tipo de cisto, exceto a idade. Espermatoceles são mais frequentemente encontrados em homens entre as idades de 20 e 50 anos.


Quando consultar um médico

Atendendo a que geralmente um espermatocele não causa sintomas, você pode descobri-lo apenas durante um auto-exame testicular, ou o seu médico pode achá-lo durante um exame físico de rotina.
Torna-se importante que o seu médico possa avaliar qualquer massa escrotal para descartar uma doença grave, como câncer testicular. Além disso, certifique-se de consultar o seu médico se sentir dor ou inchaço no escroto. Um certo número de condições podem causar dor nos testículos, e algumas requerem tratamento imediato.

Diagnóstico de espermatocele

O diagnóstico diferencial de uma massa escrotal indolor inclui espermatocele, hidrocele, hérnia, varicocele, tuberculose do epidídimo, e tumores de testículo ou do epidídimo.
Envolvimento de processos inflamatórios agudos do epidídimo ou testículo, tais como epididimite, orquite, ou torção testicular, estão associados com um elevado grau de dor e não deve ser confundido com esta condição.
O melhor diagnóstico de espermatocele faz-se com um exame físico. O achado de uma massa indolor na cabeça do epidídimo pode ser definitivamente diferenciada do testículo e geralmente torna-se suficiente para confirmar o diagnóstico.
Se existe incerteza, a ultrassonografia do escroto vai confirmar o diagnóstico.

Tratamento de espermatocele

Pequenos cistos do epidídimo não serão alvo de intervenção médica, tal como os casos de maiores dimensões mas que não produzem sintomas. Só quando os cistos estão associados a desconforto e ficam ampliados em tamanho, ou quando o paciente quer a espermatocele removida, se deve considerar a intervenção cirúrgica.
O paciente deve estar ciente de que espermatocistectomia não vai melhorar a fertilidade e não deve ser realizada por este motivo. Também é possível que a dor possa persistir após a remoção do espermatocele.
Uma vez que foi decidido avançar com a espermatocistectomia, o procedimento pode ser realizado em ambulatório. A técnica é realizada facilmente, sob anestesia local ou geral.


Prevenção de espermatocele

Embora não existe nenhuma forma conhecida de evitar um espermatocele, é importante que você realize auto-exames escrotais, pelo menos mensalmente, para detetar mudanças, como massas no seu escroto. Qualquer nova massa no seu escroto deve ser avaliada prontamente.
O seu médico pode instruí-lo a promover um auto-exame testicular, o que pode melhorar as suas chances de encontrar uma massa.

Um bom momento para examinar os seus testículos é durante ou depois de um banho ou duche quente. O calor da água relaxa o escroto, tornando mais fácil para você detetar algo de anormal. Em seguida, siga estes passos:
  • Fique na frente de um espelho. Procure qualquer inchaço na pele do escroto.
  • Examine cada testículo com as duas mãos. Coloque o dedo indicador e médio sob o testículo e coloque os seus polegares na parte superior.
  • Rode ligeiramente o testículo entre os polegares e os dedos. Lembre-se que os testículos são geralmente suaves, em forma oval e um pouco firmes. É normal que um testículo pareça ser ligeiramente maior do que o outro é. Além disso, o canal que conduz para cima, a partir do topo do testículo (epidídimo) é uma parte normal do escroto.
Ao realizar regularmente este exame, você vai tornar-se mais familiarizado com os seus testículos e ficará ciente de quaisquer alterações que possam ocorrer. Se você encontrar um nódulo, contate o seu médico o mais rapidamente possível.
Auto-exame regular é um importante hábito de saúde. Mas não pode substituir um exame médico. Normalmente, o seu médico verifica os seus testículos sempre que você é sujeito a um exame físico.

Também poderá gostar de ler:

Postar um comentário
ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL