sábado, 14 de janeiro de 2017

Aneurisma: Causas, sintomas e tratamento

Aneurisma causas sintomas diagnóstico tratamento
Um aneurisma é um alargamento anormal de uma artéria devido a fraqueza na parede do vaso sanguíneo, podendo visualizar-se uma protuberância anormal ou um “balão” nos vasos sanguíneos.
Você pode ter um dos vários tipos de aneurismas, incluindo:
  • Aneurisma da aorta. Num aneurisma da aorta, um alargamento anormal forma-se sobre a aorta, um grande vaso sanguíneo do seu corpo. A aorta leva sangue do coração para os órgãos vitais. Você pode não saber que tem um alargamento anormal de uma artéria porque ele geralmente não causa sintomas, mesmo quando são grandes. No entanto, os aneurismas podem estourar (ruptura) ou dissecar, causando hemorragia interna e, muitas vezes levando à morte. Aneurisma aortico-abdominal forma-se ao longo da aorta, na secção que passa através do abdômen. Aneurismas da aorta torácica formam-se ao longo da aorta, na secção que passa pela área do peito. Aneurisma da aorta toracico-abdominal forma-se ao longo da secção da aorta entre a área do tórax e do abdômen.
  • Aneurisma cerebral. Aneurismas cerebrais ocorrem num vaso sanguíneo que fornece o cérebro, geralmente em pontos de ramificação das artérias. A área enfraquecida forma um pequeno saco ou balão que se enche de sangue. Aneurismas cerebrais podem romper-se e causar sangramento no cérebro, resultando numa hemorragia subaracnóidea. Alguns pequenos aneurismas cerebrais, especialmente aqueles que ficam localizados nas artérias na parte frontal do cérebro, têm um baixo risco de ruptura. Os médicos poderão avaliar o tamanho, localização e aparência do alargamento anormal de uma artéria para esclarecer o risco de ruptura. Histórico médico e familiar também pode ajudar a esclarecer o risco. Os médicos, então, comparam esse risco para determinar o risco do tratamento e decidir se a melhor forma de gerir ou tratar o aneurisma.
  • Aneurisma periférico. Os aneurismas periféricos formam-se noutros vasos sanguíneos ao longo do corpo, incluindo as artérias das pernas, virilha ou no pescoço.

Causas de aneurisma

Ainda não se sabe ao certo o que causa aneurismas. Alguns aneurismas estão presentes ao nascimento (congênito). Defeitos em algumas das partes da parede arterial podem ser responsáveis pelos aneurismas.
Os locais mais comuns onde ocorrem aneurismas incluem:
  • A principal artéria do coração (a aorta)
  • O cérebro (aneurismas cerebrais)
  • Na perna por trás do joelho, (aneurismas da artéria poplítea)
  • Intestino (aneurismas de artéria mesentérica)
  • Uma artéria no baço (aneurismas de artéria esplênica)
A pressão arterial elevada, colesterol alto e tabagismo podem aumentar o risco de certos tipos de alargamento anormal de uma artéria. A pressão arterial elevada pode ter um papel nos aneurismas da aorta abdominal. A doença aterosclerótica (acumulação de colesterol nas artérias) também pode conduzir à formação de alguns aneurismas.
A gravidez é muitas vezes associada à formação e ruptura de aneurismas da artéria esplênica.
.

Sintomas de aneurisma

Os sintomas dependem do local do alargamento anormal de uma artéria. Se o alargamento anormal de uma artéria ocorrer perto da superfície do corpo,  a dor, inchaço, assim como uma massa pulsante são muitas vezes verificados.
Aneurismas muitas vezes não causam sintomas. no entanto, pode ocorrer uma ruptura do alargamento anormal de uma artéria, dor, diminuição da pressão arterial, freqüência cardíaca rápida, e tonturas. O risco de morte após a ruptura é elevado.


Fatores de risco para aneurisma

Estudos têm mostrado que o tabagismo contínuo induz uma expansão significativamente mais rápida de um aneurisma da aorta.
Aneurismas cerebrais nem sempre são possíveis de evitar do mesmo modo que os aneurismas da aorta, porque aneurismas cerebrais causados por acidente vascular cerebral com hemorragia subaracnóide podem ser congênitos.
Um aneurisma cerebral tem fatores de risco genéticos e ambientais, sendo que, uma história de aneurismas cerebrais na família é um fator de risco estabelecido, assim como o aumento da idade. No entanto, fatores de risco conhecidos também incluem a hipertensão (pressão arterial alta).
O estresse oxidativo (lesões devido à maior produção ou remoção reduzida de radicais livres) e inflamação contribuem para a formação e ruptura de aneurismas cerebrais, e a fumaça de cigarro é uma importante fonte de radicais livres.
Quase 80% dos pacientes que sustentam um acidente vascular cerebral hemorrágico por causa de um aneurisma cerebral rompido têm uma história significativa de tabagismo.
Outros fatores de risco que podem ser modificados, também podem ser prejudiciais para os vasos sanguíneos. Alterar os seguintes fatores através de estilo de vida e de outras medidas, pode reduzir o risco de aneurisma:
  • Fumar.
  • Hipertensão, que coloca pressão sobre as paredes das artérias e que pode ser reduzida com medidas dietéticas e de exercício.
  • Má alimentação - Uma dieta pouco saudável com falta de equilíbrio de energia é um fator de risco para doença cardiovascular, podendo levar à obesidade. Aderir a uma dieta saudável também pode reduzir o colesterol.
  • A falta de exercício - Tornar-se mais ativo ajuda a reduzir a pressão arterial.
  • Sobrepeso e obesidade - Estas condições requerem um coração a bombear de modo mais esforçado, aumentando a pressão arterial.
Estes fatores de risco também podem ser monitorados com a ajuda de profissionais de saúde, no caso de pacientes que tiverem um aneurisma que apenas precisa de tratamento conservador.
.

Diagnóstico

O médico irá realizar um exame físico para diagnosticar o alargamento anormal de uma artéria.
Os testes utilizados para diagnosticar aneurismas incluem:
  • A tomografia computadorizada
  • Ultrassom
.

Tratamento de aneurisma

O tratamento depende do tamanho e da localização dos aneurismas. O seu médico pode recomendar check-ups regulares para ver se o aneurisma está a crescer.
A cirurgia pode tornar-se necessária. O tipo de cirurgia e altura em que deve ser implementada depende dos sintomas e do tamanho e tipo de alargamento anormal de uma artéria.

A cirurgia pode envolver um grande corte cirúrgico, no entanto, alguns doentes podem ter embolização endovascular. Existem procedimentos que podem ser implementados sem necessidade de executar um grande corte, de modo a que a recuperação seja mais rápida do que ocorre com uma cirurgia tradicional. No entanto, nem todos os pacientes com alargamento anormal de uma artéria podem ter este tipo de intervenção menos intrusiva.


Prevenção de aneurisma

A forma mais importante (e única) de evitar um aneurisma é evitar fumar, pelo que a pessoa que fuma deve procurar ajuda para deixar de fumar, se já for viciada. Fumar não é apenas o fator de risco mais forte para o desenvolvimento de um aneurisma da aorta, mas também é um fator de risco para piorar uma condição existente ou mesmo para ruptura da artéria.
O tabagismo é um fator de risco maior para o aneurisma do que para a aterosclerose, a doença cardiovascular que enfraquece as paredes da artéria
O fato do fumo também ser um grande fator de risco para a aterosclerose é diretamente relevante, já que a maior parte dos aneurismas são causados por enfraquecimento da parede arterial causada por aterosclerose.


Factos rápidos sobre aneurismas

A etiologia (causas) dos aneurismas não é totalmente compreendida, embora alguns fatores de risco modificáveis tenham sido identificados.
Uma variedade de artérias podem ser afetadas por aneurismas, incluindo artérias periféricas.
Os aneurismas mais significativos afetam as artérias que fornecem o cérebro e a aorta (a maior artéria do corpo, que se origina no coração).
Se um aneurisma aórtico se romper, isso causará sangramento interno. Se um aneurisma cerebral se romper, isso causa sangramento no cérebro.
O risco de um aneurisma varia entre indivíduos, assim como o risco de ruptura do aneurisma.
Nem todos os aneurismas precisam de tratamento, alguns podem ser monitorados enquanto os fatores de risco são gerenciados.
Os aneurismas aórticos de alto risco podem justificar um tratamento cirúrgico para prevenir a ruptura, mas os riscos da cirurgia no cérebro significam que a maioria dos aneurismas cerebrais não são tratados cirurgicamente até serem absolutamente necessários.
Muitos aneurismas são assintomáticos, mas os aneurismas quebrados produzem sangramentos que ameaçam a vida, o que motiva a necessidade de cuidados hospitalares de emergência. O sangramento da aorta é particularmente perigoso no peito e o sangramento abdominal também é perigoso. Um aneurisma que se rompe e causa sangramento no cérebro é chamado de acidente vascular cerebral, sendo uma emergência médica.
O risco de desenvolver um aneurisma pela primeira vez e de ocorrer uma ruptura do mesmo é aumentado pelo tabagismo, consumo excessivo de álcool e abuso de drogas, especialmente uso de cocaína.
Os aneurismas são mais comuns nos homens e nas pessoas mais velhas, especialmente em pessoas com hipertensão arterial e/ou arteriosclerose (endurecimento das artérias).

Nenhum comentário:
ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL