segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Morfeia - Sintomas e tratamento de morfeia

Morfeia sintomas causas tratamento
Morfeia é uma forma de esclerodermia que significa literalmente "pele dura".
Geralmente, a morfeia afeta apenas as camadas superiores da pele, mas nalguns casos pode envolver tecido gordo ou conjuntivo abaixo da pele, sendo geralmente uma condição crônica ou recorrente.

Sintomas de morfeia

Os sintomas de morfeia incluem:
  • Endurecimento da pele
  • Espessamento da pele
  • Descoloração da pele, ficando esta mais clara ou mais escura do que a área circundante. A maioria das pessoas desenvolvem uma ou duas manchas ovais que começam por apresentar uma coloração vermelha, roxa (lilás) ou amarelada e gradualmente desenvolve-se um centro esbranquiçado. Ao longo do tempo, os emplastros podem transformar-se numa cor acastanhada e eventualmente branca.

Causas de morfeia

A causa exata da morfeia é desconhecida. Acredita-se que uma refracção do sistema imunitário desempenhe um papel importante no desenvolvimento desta condição rara. Especialistas têm explorado uma possível conexão entre esta condição e uma infecção, tais como sarampo ou varicela, mas a pesquisa recente não suporta esta teoria. Outros fatores que podem ser associados com o aparecimento desta forma de esclerodermia incluem a terapia de radiação ou trauma repetido na área afetada.

Aspeto da morfeia

A morfeia apresenta-se como placas com uma cor marfim e com graus variados de inflamação sobre as suas fronteiras.
Geralmente, começa como uma área avermelhada que aparece inchada.
Gradualmente, o centro torna-se branco ou amarelado.
Não pode haver uma falta de cabelo nestas lesões.
Sudorese pode ser reduzida, dependendo de quão avançada a lesão se tornou.

Riscos associados à condição

Morfeia é mais comum em mulheres do que em homens. Na verdade, as mulheres são afetadas cerca de três vezes mais frequentemente que homens. Ela também é mais comum em afro-americanos e pode ocorrer em qualquer faixa etária, mas a maioria dos pacientes tem entre 20 e 50 anos de idade no momento do diagnóstico. Morfeia linear é geralmente visualizada em idade precoce, onde a maioria dos pacientes tem menos de 20 anos de idade, mas também pode afetar não apenas a pele, como as estruturas subjacentes, como músculo e osso. Porque a sua causa é desconhecida, é difícil identificar aqueles que estão em maior risco.


Quando consultar um médico

O diagnóstico precoce permite um maior sucesso associado ao tratamento da pele afetada, podendo ajudar a retardar o desenvolvimento de novas manchas e permitir identificar e tratar as complicações antes que estas progridam.

Diagnóstico de morfeia

É possível confirmar um diagnóstico de morfeia com base em:
  • Exame físico. Descoloração combinada com a firmeza da pele é um bom indicador da presença da condição. Depois de inspecionar a sua pele e discutir outros sinais e sintomas que você possa ter, poderá ser necessário recorrer à recolha de uma amostra de tecido para análise.
  • Amostra de tecido. Pode remover-se uma pequena amostra de tecido (biópsia) da pele afetada para ser examinada em laboratório, para detetar anomalias que permitam o diagnóstico, tais como o espessamento do colágeno na segunda camada da pele (derme). O colágeno é uma proteína que compõe os tecidos conjuntivos, incluindo a pele, ajudando a tornar a pele elástica e resistente.

Complicações associadas a morfeia

A complicação mais comum associada à condição é um possível efeito negativo na sua imagem corporal e auto-estima devido às manchas descoradas da pele que aparecem nos braços, pernas e rosto. Se o seu rosto estiver envolvido, a sua pele pode parecer deprimida e ficar colorida.
Muitas vezes, apenas um lado do rosto é afetado, estendendo-se desde o couro cabeludo e testa até ao queixo.
Embora, provavelmente, a sua pele vá amaciar-se com o tempo, obviamente, a descoloração pode permanecer ao longo de muito tempo, e nalguns a descoloração pode durar anos.
Morfeia que afeta os braços e as pernas prejudica a mobilidade das articulações em 20% dos casos. A dor pode diminuir nos próximos meses ou anos, mesmo que manchas descoradas da pele permaneçam. Esta condição mais extensa é chamada de morfeia generalizada.
Raramente, esta forma de esclerodermia pode ser parte de uma condição mais grave chamada esclerodermia sistêmica progressiva, o que pode afetar os vasos sanguíneos e órgãos internos.

Tratamento para morfeia

Esta forma de esclerodermia não tem cura conhecida. O tratamento da condição concentra-se no controle dos sinais e sintomas e no abrandamento do alastrar da doença. Quanto mais cedo você começar o tratamento, mais eficaz se torna. O tratamento preciso depende da extensão e gravidade do seu estado, mas podem incluir:
  • Corticosteróides - Pode haver necessidade de prescrição destes medicamentos no início do curso de tratamento, para reduzir a inflamação e evitar o espessamento do colagênio. Eles podem ser tomados por via oral ou ser usado na forma tópica ou ambos.
  • Medicamentos contra a malária - Medicamentos, como a hidroxicloroquina (Plaquenil) ou cloroquina (Aralen), podem ajudar a reduzir a inflamação e retardar o progresso da doença.
  • Medicamentos imunossupressores - Podem ser prescritos para controlar o seu sistema imunológico e reduzir a inflamação.
  • Fisioterapia - Este tipo de tratamento utiliza alongamento, fortalecimento e exercícios de amplitude de movimento para melhorar a mobilidade das articulações.
  • Tratamentos a laser, cremes e peelings químicos - Essas abordagens ajudam a trazer de volta uma cor natural da pele afetada após a inflamação diminuir.
  • A cirurgia plástica - Técnicas de cirurgia estética podem melhorar a aparência da pele descolorida em locais altamente visíveis.


Remédios caseiros e de estilo de vida


O sol pode escurecer a pele já descolorida pela condição. Tenha a certeza de que usa protetor solar. Cubra a pele afetada e evite o contato direto com o sol sempre que possível. Use hidratantes para amaciar e melhorar a sensação da sua pele. Se você tiver morfeia em locais mais visíveis, maquiagem e outros tratamentos tópicos podem ajudar a esconder a doença e dar à sua pele uma aparência mais natural.


Medicina alternativa para morfeia

Ácido para-aminobenzóico (PABA) é um medicamento oral que tem sido utilizado para tratar morfeia, mas não foi provado reduzir os sintomas de pele em ensaios clínicos. Se você estiver interessado em tentar PABA, discuta o seu uso adequado com o seu médico.

Enfrentamento e suporte para pessoas com morfeia

Atendendo a que esta condição afeta a sua aparência, pode ser uma condição particularmente difícil de gerir em termos emocionais. Você também pode ficar preocupado com a possibilidade da condição piorar antes de desaparecer.
Se você quiser aconselhamento ou apoio, pergunte ao seu médico por uma referência, uma informação ou contato de um profissional de saúde mental, para que você se possa integrar num grupo de apoio na sua área de residência.

Prevenção de morfeia

Não existem medidas específicas para prevenir a condição, já que a etiologia da doença permanece desconhecida. Pó de sílica e diluentes de tintas têm sido considerados como podendo ser desencadeadores da condição, e acredita-se que evitar a exposição a estas substâncias possa prevenir o desenvolvimento da doença, em certa medida.

Também poderá gostar de ler:

Um comentário:
Maria Aparecida disse...

Olá. Eu tenho morféia, esclerodermia em placas. Causada por infecção por borrelias burgdorferi, ou borrelia brasileira, transmitida por picada de carrapato infectado. Sonho com o dia em que todos os doentes sejam submetidos ao exame Sorologia para borreliose, Western Blot, para verificar a hipótese de Doença de Lyme, à qual fui acometida há 12 anos e faço tratamento há 10 anos. Além de mim há outros infectados por borrelias que desenvolveram todos os tipos de esclerodermia.

ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL